O Jogo interior

10 segundos... *3...2...1...*Frizionho na barriga* começa o wod!

Começo a realizar os movimentos do dia.

- “Tudo certo, por enquanto! ”. O folego começa a diminuir.

- “Ai meu Deus. Quero parar”. Diminuo um pouco o ritmo mas continuo.

- “Nossa, não aguento mais.”.... Diminuo um pouco mais o ritmo.

- “Affe, hoje está pesado, sou muito fraco”...

- “Meu cardio é ruim”...

- “Meu braço não aguenta”. Parei. Vou tomar uma água.

- “Não, vamos lá vai, tá todo mundo fazendo. Só mais um pouco.” Pego a barra novamente. Coração acelera.

- “Chega. Não aguento”. Paro novamente o movimento. Olho para os lados. Respiro.

- “Vamos lá vai... tá acabando”. Parto para a corrida.

- “Nossa, coração está na boca, vou passar mal”. Começo a andar. Volto pro Box.

- “Mais um minuto, vou fazer mais essa série”. Pego a barra. Faço um pouco.

- “Ah chega. Por hoje deu. Sou muito ruim”. Solto.

*Pãaaam* Apito final do wod.

- GUARDEM OS MATERIAIS! – grita o coach.

- “Affe, morri hoje, acho que nunca vou ficar bom nisso”.

E ai? Se identificou com esse bate papo mental? Durante os 7 min de wod, quanta conversa passa pela nossa cabeça né? Quanto diálogo! Um lado nosso nos mandando parar. Um outro querendo ir mais um pouco. E a gente no meio disso sem saber muito bem quem escutar!

Timothy Gallwey , treinador do time de Tênis da Universidade de Harvard na década de 60, escreveu um livro chamado “The Inner Game of Tennis” (O Jogo interior do Tênis). Nesse livro ele afirma que em uma partida de tênis existem dois jogos: O jogo contra o oponente real, e o jogo interno. Gallwey foi pioneiro em trabalhar com seus atletas focado nesse jogo interno. Seus resultados foram tão eficientes, que não apenas outros treinadores de várias modalidades esportivas passaram a utilizar de seus fundamentos, mas também pessoas que desejavam ter um aumento de performance em todas as áreas da vida.

O Crossfit é um esporte que nos oferece uma excelente oportunidade diária de percebemos e trabalharmos esse jogo interno, esse diálogo mental. Provavelmente o tipo de modelo mental que adotamos dentro do box de Crossfit é o mesmo que adoramos do lado de fora: em nosso trabalho, em nossas relações interpessoais e em nossa vida como um todo.

Durante esse diálogo mental, podemos perceber a conversa entre duas vozes principais: os chamados SELF 1 e o SELF 2.

O SELF 1 é o nosso grande crítico interno, aquela voz de um adulto bem ranzinzo sabe? Aquele juizão, racional, que carrega a verdade absoluta. Esse SELF 1 quer te proteger de tudo que ele considera perigoso. Porém, para ele, sair do lugar já é considerado perigoso. Então, ele te conta muitas historinhas para te fazer ficar no lugar que você está! Pois ali ele considera seguro.

De outro lado, existe o “SELF 2”. Aquela criança livre que não tem medo de nada. Que brinca, que experimenta. Que sai pulando por ai sem estar preocupada se pode cair ou se machucar! Aquela que nem pensa na possibilidade das coisas darem errado. Que arrisca.. E que se não deu certo... ela vai la e faz tudo de novo de maneira criativa e diferente.

Os vencedores desses diálogos internos, vão construindo o nosso modelo mental prioritário. Obviamente não podemos nem ser 100% SELF 1, nem 100% SELF 2. Se formos 100% SELF 2, é provável que a gente nem sobreviva, já que ele não tem nenhum medo e senso de responsabilidade e segurança. Mas o que acontece é que a maioria das pessoas são quase que 100% SELF 1. Elas acreditam demais nesses julgamentos e nessas historinhas que o SELF 1 tá contando toda hora. E isso as impedem de saírem do lugar.

No Wod no Crossfit são esses dois SELFs que vivem discutindo dentro da gente. O SELF 1 que quer nos proteger e nos fazer parar a qualquer custo, pois ele considera tudo aquilo um perigo, e o SELF 2 que quer se divertir e nos fazer continuar. Você sabia que o SELF 1 faz nosso corpo parar cerca de 5x antes do que ele realmente aguentaria ir? Ele é tão desesperado em nos proteger, que ele nos bloqueia muito antes do necessário.

Olha que oportunidade bacana que o Crossfit traz diariamente para a gente. Como é incrível poder aproveitar a nossa uma hora de treino no box, não só para treinar nosso corpo, mas também para começar a escutar e perceber esse diálogo mental. Observe. De um nome para seu SELF 1 e seu SELF2. Um nome bem pessoal que represente bem para você a personalidade de cada um. Na hora que o SELF 1 começar a te segurar, chame-o pelo nome que você deu. Mande-o parar! Diga que você sabe que você pode ir pelo menos 5x mais do que ele está dizendo. Mude o protagonista para quem você dá mais ouvidos.

Aproveite essa experiência que o Crossfit te proporciona para fortalecer seu SELF 2! Para empoderar suas decisões. Se você escuta muito o SELF 1 dentro do box, é capaz que ele esteja controlando toda sua vida e te impedindo de caminhar em direção à todos os seus objetivos. Faça esse pequeno treino mental e expanda tudo isso para todas áreas da sua vida!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
CrossFit Journal: The Performance-Based Lifestyle Resource
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
0