SETEMBRO AMARELO

October 3, 2018

Setembro amarelo passou e a  CrossFit Saurus, como um bom exemplo de comunidade de Crossfit, fez um treino dedicado à prevenção do suicídio, com intuito de desmistificar esse assunto tabu que grande parte das vezes vem em decorrência de doença psiquiátrica.

Enfim, não estou aqui pra discutir e nem explorar o assunto, mas expor a minha experiência. Calma meu povo! Eu não tentei cometer suicídio (rs)! Mas sim, como muitas outras pessoas, sofro de doença psiquiátrica, e encontrei no esporte (no caso o Crossfit) o combate à mesma.

 

Doenças psiquiátricas são bem fdpzinhas (desculpa o palavreado galera!). Elas chegam em silêncio, se instalam sem mais nem menos e quando você percebe, já virou uma “panela de pressão sem pino”. Imaginem alguém que vive cheio de alegria e piadas pra cima e pra baixo, “enchendo” as pessoas sempre e jogando conversa fora o dia inteiro, tamanha a dificuldade em assumir em voz alta que precisa de ajuda. Comigo foi assim, até porque depressão não tem a ver com tristeza! Foi difícil entender que aquilo que eu estava passando era de fato decorrência de uma doença e que eu precisaria de tratamento médico. 

 

Não preciso entrar em detalhes sobre meu diagnóstico, mas logo de cara a primeira recomendação foi “não pare a atividade física”. E como a própria Tati (psicologa que deu a palestra) falou, a atividade física ajuda em até 50% no combate à depressão. Então eu segui a risca. Dividi com algumas pessoas do box a notícia, que de prontidão me estenderam a mão. Foi uma sensação incrível. Tive um apoio imenso, e aprendi a falar em voz alta sobre a minha dor. Recebi muito carinho até mensagens do tipo: “Eu não sei o que está acontecendo com você, e você não precisa me contar. Mas se precisar de qualquer coisa, estamos aqui. Sua ridícula”. Ok, essas últimas 2 palavras não estavam na mensagem, mas se tratando de quem escreveu, estavam implícitas (rs).

 

Eu me senti confortada e encontrei na Saurus não só um lugar pra eu praticar um esporte, produzir serotonina e tratar minha doença. Eu encontrei um centro de apoio, uma verdadeira comunidade, um refúgio do que estava sendo “caos”. Descobri outras pessoas que sofriam do mesmo mal que eu, encontrei conforto quando eu achei que não teria mais, recebi apoio e suporte de quem eu nem imaginava. Tive troca de experiências incríveis, papos reconfortantes e a Saurus se tornou pra mim não só o Crossfit. Não só um esporte. E sim um remédio, uma experiência, uma família. E sendo família, eu não esperava menos do que esse conforto todo.

Enfim, é gratificante saber que um lugar com o intuito da prática do esporte pratica também a empatia em relação a assuntos relevantes do cotidiano. É incrível saber que eu tenho por perto pessoas qualificadas não só pra me dar suporte na barra (rs), mas também na vida. Se você ainda não descobriu o real significado de comunidade e quer experimentar, então #vemprasaurus 😉

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Posts Em Destaque