RX: Ser ou Não Ser...


Logo cedo o despertador toca, checamos as mensagens não lidas no celular e depois disso começamos o dia. Mas para aqueles que praticam CrossFit, com certeza o dia não inicia sem antes olhar qual será o WOD (para os noturnos e viciados, ainda existe a possibilidade de fazer isso antes de dormir).

Tudo isso para preparar a mala com os acessórios que serão necessários para o treino: munhequeira, corda, joelheira, cinto de LPO, suplemento, tênis de LPO, meião etc. Há uma infinidade de materiais que usamos durante os treinos para tentar otimizar a performance e dar o máximo todos os dias naquela uma hora de esforço em que você supera os próprios limites.

Ao chegar no box, nós nos deparamos com o treino e na grande maioria há uma prescrição de como deve ser feito. Quantidade de repetições, carga e tempo já são pré-programados pelo seu coach, que tem um objetivo específico para aquele dia.

Agora é que vem a famosa dúvida: fazer o WOD na versão RX ou Scaled?

Primeiramente, para aqueles novatos que ainda não compreendem o "crossfitês", o termo RX indica que o treino deve ser feito conforme foi prescrito, sem alterações de complexidade de nenhuma forma. Se você fizer alguma alteração, seja de carga, de repetições ou de padrão de movimento, o seu treino se classifica como "Scaled", ou seja, será feita uma adaptação da prescrição para se adequar à sua habilidade.

Agora vou tentar ajudar você a tomar essa decisão da forma mais racional possível ressaltando alguns pontos.

Mecânica

Você consegue realizar os movimentos propostos de acordo com o padrão e a amplitude ideais?

Consistência

Você consegue aplicar a mesma técnica para todas as repetições prescritas?

Se sua resposta foi não para alguma das perguntas acima, então acredito que você não deve tentar a forma RX, pois em algum momento seus movimentos não irão fluir de maneira eficiente e com certeza você irá fazer compensações que podem gerar um estresse maior do que o necessário para seu corpo.

Fadiga

Como você está se sentindo no dia?

Há alguns indicadores de fadiga que você deve considerar antes de se decidir. Os mais práticos de avaliar são:

* hidratação (cor da urina);

* qualidade/quantidade do sono;

* dores musculares;

* imunidade;

* humor.

Caso grande parte desses indicadores esteja alterada, acredito que seja a hora de baixar um pouco a intensidade e respeitar o seu organismo.

O último ponto e o mais difícil de ser avaliado em todos os praticantes de CrossFit tem 3 letrinhas, mas faz uma enorme diferença nos treinos todos os dias.

EGO

Até que ponto você está desconsiderando todos os outros indicativos descritos anteriormente apenas para ter o RX vinculado ao seu nome no ranking do seu box?

Apesar de a frase "deixe seu ego do lado de fora" estar estampada em todos os boxes do Brasil, isso é imensamente desrespeitado todos os dias por aqueles que não têm essa capacidade de autoavaliação.

E o problema não se resume a você!

Muito provavelmente por conta de repetidas escolhas erradas a sua longevidade nos treinos será menor, levando a dores e lesões que o afastarão dos treinos e o levarão a algum médico que irá desconsiderar o EGO do paciente e fará a simples relação: CrossFit = lesão. Essa má reputação desqualifica a imagem de toda a comunidade da qual você participa.

Diante do exposto, qual será a sua escolha no WOD de hoje?

Não se preocupe com o rótulo RX ou Scaled. O verdadeiro CrossFit está preocupado com 3 bases: o treino deve conter movimentos funcionais, em alta intensidade e devem ser constantemente variados. Ninguém nunca disse que deve ser pesado e com movimentos complexos.

Espero que essas considerações sejam parte da sua rotina de treinos a partir de agora.

Encare o treino de uma forma mais divertida e os resultados aparecerão naturalmente!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
CrossFit Journal: The Performance-Based Lifestyle Resource
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
0