• Fit Rex

Os tipos de fomes

Por Jéssica M. Dias - nutricionista



Mudar hábito alimentar, perece simples , mas não é.


Temos ligação afetiva com os alimentos que gostamos de consumir, especialmente aqueles que fizeram parte da nossa infância/ adolescência. Mais ainda aqueles que remetem a dias felizes e festivos.


Existe a fome afetiva e a fome real.

Sabe como identificá-las?


A fome real dá sinais físicos claros, mas sabemos que esses sinais são muito individuais e a pessoa pode apresentar mais 2 ou 3:

1)barriga roncando

2) leve sonolência e bocejos

3) Leve tontura, dor de cabeça, desejo de comer qualquer coisa (sinais avançados)


O mais interessante é saber observar os primeiros sinais da fome e se alimentar. Não deixar ao ponto da fome ficar tão intensa a ponto de você ser capaz de comer até ´tijolo da parede.

Mas existe a fome afetiva (ou emotiva). È aquela vontade súbita de comer algo pra aliviar o estresse do trabalho, pra aliviar os medos, a saudade!


No Livro “Fazendo as pazes com o corpo”, da jornalista Daiana Garbin, há o relato pessoal sobre o quanto ela “descontou” na comida a saudades que sentia de sua família. Ao se mudar de Porto Alegre para São Paulo ela conta que assim que sentia saudades dos seus amigos e familiares, ela comia! E quanto mais triste ficava, mais comia!


Outros sentimentos são capazes de despertar a vontade de comer: ansiedade, tristeza, medo, felicidade, angústia.


Por isso devemos olhar para dentro e observar o que passa dentro de nós quando sentimos aquela vontade louca e incontrolável de matar o pote de sorvete de uma vez. É só uma vontade, pois está calor? Ou é algo mais profundo?

O que gera essa impulsão? A resposta? Só você pode elaborar!


Atente-se a sua fome. Saiba verificar os sinais e seja observador de seus próprios sentimentos.



17 visualizações
CrossFit Journal: The Performance-Based Lifestyle Resource
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
0